quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Reforma interior


O que eu quero da vida?
É não querer.
A vontade enlouquece o homem.
E o homem quer ser deus.
Mas deus não existe
em homem algum.
Viver é um senso comum
de comodidades. 
E vivo como?
Quando quero demais
me perco.
Quando quero de menos
emburreço.
Se o dia é ruim
eu esqueço.
Mas se a noite foi boa
fico me perguntando o que quero
da vida...
O que a vida quer de mim?
Não posso ser como os outros.
Não quero como eu quero.
Tudo tem de ser sem querer
talvez.
Outra vez
penso ter outra vida
que não me quer direito.


Ígor Andrade

___________________________________________________________________________


Um comentário:

Marcelino disse...

Belíssimo texto: até o 20º verso é filosofia pura, nas relações entre o homem e a metafísica, entre o volitivo ( o querer) e a afasia (emburreço). Muito bom.