segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Eu vi


O homem moderno
anda anestesiado.
O tempo é o aleijado
de sempre.
De sempre.

Hoje a rua perdeu a graça.
Um maldito chuta um vira-lata
mal disfarça
e sorri.

Sinestesia moribunda.
O pôr do sol afunda.
Tudo longe de mim.


Ígor Andrade


_______________________________________________________________________________

Nenhum comentário: