domingo, 29 de setembro de 2013

Três da manhã


Domingo cedo
um leve medo
não sei de quem.

Não estou bem.
O dia não vem.

A barriga ronca.
A cabeça dói.
A última noite foi
chata demais.

A rua sem um pé de gente.
Não vejo chuva cinza pela frente.

Sinto calor de criação.

O mais estranho é que acordei com uma esperança estranha.

Não haverá sorriso algum para iluminar este dia.


Ígor Andrade

________________________________________________________________________________

Nenhum comentário: