sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Sumindo


Antes de dormir tentei decifrar alguém intocável. Melindrice dispensável. Mundo real onde tudo que faz mal, faz bem. Vida vazia na azia da noite. Uma vida fazia agonia antes do açoite (que nunca aconteceu). Antes de dormir o afago sumiu. Fogo que dormiu no reducionismo. Geometrizar sonhos impossíveis. Sensíveis olhos que se fecham na escuridão. Uma cacofonia sóbria costumeira, triste, e que insiste na morte momentânea da cama fria. Antes de dormir nunca penso em acordar.


Ígor Andrade

__________________________________________________________________________________

2 comentários:

Patrícia Lage disse...

Noite é o lugar em que estoco minhas saudades.

Patrícia Lage disse...

Noite é o lugar em que estoco minhas saudades.